quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Possivelmente


Possivelmente, nunca mais direi que te amo.
Possivelmente, nunca mais olharei em seus olhos, sentindo seu hálito bom, pressentindo um beijo roubado.
Possivelmente, nunca mais um abraço muito, muito forte vai fazer seu coração bater no meu peito.
Possivelmente, nunca mais brigaremos, ficaremos de mal, só para fazer as pazes e ficar de bem...
Possivelmente, nunca mais suas mãos vão enxugar meus olhos, marejados de te querer, numa estação de trem que mais parece nossa.
Possivelmente, nunca mais falaremos de amar e beijar na boca, nunca mais riremos dos passantes, da gente comum, que nos olhava curiosa.
Possivelmente, nunca mais... nunca mais trocaremos bilhetinhos cheios de malícia, o desejo atiçado, descuidados do mundo perigoso.
Possivelmente, nunca mais sentirei o peso do seu corpo bom, seu cheiro de macho, sua maneira de amar só sua, só nossa, só nossa.
Possivelmente, nunca mais serei plena e feliz. Nunca mais.
Mas, possivelmente vou seguir seguindo, desfrutando do que a vida reservou pra mim, do jeito que ela quis. Possivelmente, encontrarei forças para sorrir vez em quando, ou para escrever bobagens, como agora, só pra não deixar morrer a poesia, tão esquecida.
E por enquanto, possivelmente só mais uma vez, vou repetir que te amo. 
 

Um comentário:

  1. Possivelmente as pessoas que passam por nossas vidas sempre deixam uma enorme porção de si em nós! Sei que essa máxima é super verdadeira e quero que seja fiel entre nós!Beijos na alma!!! Amei a poesia! Amei o blog!

    ResponderExcluir