segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Para João Felipe

Tente, mesmo que apenas um minuto do seu dia, se expor ao perigo
de ser qualquer um.
Ou qualquer outro.
Experimente, mesmo que apenas uma vez, da loucura de não se explicar,
nem tentar se entender.
Existem sentimentos absolutamente indefiníveis pelas palavras –
a não ser que as criemos.
Faça, com todo o seu corpo e toda a sua alma, o exercício diário de se reinventar.
Destrua devagarinho os conceitos, as regras e os limites
que ao longo da vida seu ego criou.
Na verdade, acredite mais em seu alter-ego.
Da próxima vez em que a chuva cair, nem pense em pegar
o guarda-chuva e se proteger.
Beba cada pinguinho que rolar em sua face e desfrute o prazer de estar vivo.
Tire os sapatos. Ponha uma flor nos cabelos. Recite Camões em voz alta pela praça.
Se alguém lhe chamar de louco, sorria. O paraíso foi feito pra gente como nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário