quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Que digo?

Naquela foto aparece um pedaço da sua língua. E meu coração quase pára quando penso nisso.
Sinto saudade do toque dos meus dedos nas suas sobrancelhas (sempre em desalinho!). Quase sinto o cheiro de sua boca boa, de sua pele, desse corpo pesado e gostoso.
Arrependo de cada minuto que perdi tentando entender qualquer coisa, no lugar de simplesmente trepar com você.
Sou uma idiota, analisando o mundo e suas dores, dando nomes a sentimentos inomináveis, racionalizando, arquivando e etiquetando sensações, prazeres, coisas que só importam no seu momento.
Você tem os pés mais lindos que já vi. E o pau também.
Acho que te amei por algum tempo. Uma ou duas semanas, talvez. Depois sobrou um gosto estranho na boca, um hálito de freiras, uma ressaca, coisa esquisita.
Meu coração e minha cabeça não querem lembrar mais, querem seguir em frente. Mas meu corpo enlouqueceu, perdeu a referência, não quer saber de explicações verbais. Quer seu corpo e só. Que digo a ele?

Nenhum comentário:

Postar um comentário