terça-feira, 14 de junho de 2011

Lilith





Não se engane.
Não caibo em sua rima
Não me pareço com nada que já conheceu
Pareço doce, mas meu gosto é muito meu.

Meus quadris cabem nos jeans
Mas na cama explodem loucos
 furacão branco,mar em fúria, terremoto
Não se engane...

Perdão, se não sou eu a flor singela,
Moça na janela,
Talvez nem seja bela, talvez nem seja ela, perdão...

Não sou conforto, antes o incômodo
Não sou o sim, no máximo um talvez
Se vai ficar, escolha suas armas e façamos um brinde!

Mas para não haver engano,
de cor, formato, tamanho, leia antes o aviso:
“Antes de Eva ser expulsa por causa de uma maçã,
Eu já tinha bagunçado bastante o tal Paraíso.”

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Eita que a cada dia descubro mais talentos perdidos por aí! Poesias e textos refinados.

    ResponderExcluir
  3. A gente mal serve na alma, quiça num outro olhar.

    ResponderExcluir