sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Encontrados numa velha agenda


Uma lágrima doce aguarda a ordem de partida. Me contenho. Não quero dar esse gostinho à vida.
...

Não sei de onde veio essa tristeza.
Envolveu-me, roeu, mordeu por dentro. Sentou-se comigo à mesa do café. Ajudou-me com os cabelos e a maquiagem. Sugeriu a blusa.
Cantou Djavan nos meus ouvidos. Brincou com minhas lembranças, inventou fantasmas.
A tristeza não sabe divertir, mas sabe encher o tempo, fazer companhia. Vou ficando com ela por aqui, enquanto você não vem...
...

Te amo. Amo até esse gemido estranho que você faz quando me abraça...
...
Conheço seu jeito! Sei bem quem você é! Aquele tipo safado, louco, viciado em mulher.
E embora minha cabeça reconheça o tamanho do problema e altura do abismo,
Meu corpo, burro, treme e anseia pelo seu.
Sonho em mergulhar minha brancura nessa morenice quente e boa...
E gritar pro mundo lá fora: Foda-se! E quanto a você, vem cá...
...

Por vezes é a insanidade que me atiça (sangue nos olhos!)
Noutras, a paz e a tranquilidade me enchem de preguiça.
Sou feita assim, maré rasa, maré cheia, tempestade, calmaria, fogo e água – incoerências – Muito prazer, Márcia Maria.
(A Filhota, Laura Beatriz, num Momento Carão. Ela me representa bem...)

9 comentários:

  1. Ah.... que saudade doce que eu senti desse espaço tão lindo!!! Eu sou vidrada em tudo que você escreve e acho que já deu pra perceber, né?

    Sou fã MESMO e não nego!

    Querida, como sua filhota é linda... e que palavras tão certeiras!

    Tudo o que eu precisava ouvir hoje! Por favor, não fique mais tanto tempo longe... precisamos de você e do ardor das suas emoções!

    Obrigada, obrigada, obrigada...

    Obrigada por ser um anjo em nossas vidas!

    Beijos mil procê, ótimo fim de semana! (que agora ficou muito melhor....)

    ResponderExcluir
  2. Sou suspeita para dizer o quanto eu amo as coisas que você escreve tia Marci,são sentimentos que se transformam em palavras e palavras que ganham vida como verdadeiros sentimentos.
    Entre tantas coisas que me prendem a você, tem uma que considero o sexto sentido da nossa amizade que é esse lindo dom que temos de poder escrever e nos expressarmos através de poesias, textos ou um simples verso.
    Se você não existisse tia Marci, eu te inventaria!

    ResponderExcluir
  3. Márcia

    Te conheço a tão pouco tempo (no virtual), mas é como se fossemos amigas antigas.
    Admiro o seu jeito de escrever, como brinca com as palavras certas. Texto muito lindo.
    Você sabe com sou sua fã.
    Sou feita assim, maré rasa, maré cheia, tempestade, calmaria, fogo e água – incoerências –(me reconheci nessa frase).
    Beijo
    Odila

    ResponderExcluir
  4. Que grata surpresa ver que voce escreve e escreve tão bem. Adorei o seu texto cheio de paixão, sentimentos, desejos. Bjo linda e continue assim.

    ResponderExcluir
  5. Texto lindo e sua filha também!
    Um beijo e um cheiro!

    ResponderExcluir
  6. Adoro esse espaço, tão intenso, tão leve, tão poesia, tão Márcia.

    Me envolvi em cada palavra.

    Beijos no coração.

    ResponderExcluir
  7. diaxo de texto bonito,trem de louco, me deixou de pernas bambas... linda MÁRCIA!!!
    A foto da Laura Beatriz tá ma-ra-vi-lho-sa!!!

    ResponderExcluir
  8. Simplesmente amei cada palavra presente nesse texto. LINDO Marcia, parabéns. Já tô seguindo o seu Blog, primeiro texto que li e já me apaixonei *-*

    PS: Linda filha!

    ResponderExcluir
  9. Olá...

    Estou aqui meio de intrusa... Aqui me joguei, não, não cai rs

    Lugar lindo, e que bela emoção descrita belamente por bela/mente...

    Sim... Concordo com você, a realidade está naquilo que sentimos dentro...

    Mas, e a lágrima que negastes ao mundo? Notou que somos todos grávidos de lágrimas? E são tantas e de tantas espécies e todas também grávidas de tantas emoções...

    Desculpe-me... Não me apresentei: Sou Kel - a louca - e você me emocionou e isso me faz viajar...

    Obrigada...

    Beijocas-inebriadas

    ResponderExcluir